Vitrine do Conhecimento 2017 recebe o maestro João Carlos Martins

Projeto realizado pelo Instituto Flamboyant em parceria com a MKT Link, associada da Fundação Dom Cabral, tem patrocínio do Flamboyant Shopping Center


O pianista e maestro João Carlos Martins é o convidado deste mês no projeto Vitrine do Conhecimento, dia 30, às 19h30. Considerado um dos maiores intérpretes de Bach no século 20 pela crítica internacional, João Carlos foi vítima de problemas que prejudicaram a mobilidade de suas mãos e o obrigaram a abandonar o piano, mas não a música. Hoje ele atua como maestro e se apresenta pelo Brasil com a palestra “A Saga das Mãos”. Nesta quarta-feira, 16 agosto, começam as trocas de ingressos para a palestra.

Na abertura, um vídeo de curta duração (nove minutos) exibirá momentos marcantes da vida artística de João Carlos Martins, passando pelo início da carreira no piano, o concerto triunfal com o maestro Zubin Metha, até os acidentes das mãos, o fim da carreira de pianista e o início da caminhada profissional como regente.

Após o vídeo, Martins abordará temas como resiliência, coragem, foco em resultado, trabalho em equipe, adversidades e oportunidades. Aos 77 anos, o maestro é um exemplo de superação e promete surpreender os espectadores com mensagens de otimismo. Ao final, ele se apresentará ao piano com peças de Johann Sebastian Bach e Tom Jobim, acompanhado por um violinista.

Vitrine

A estreia do evento Vitrine do Conhecimento em 2017 reuniu mais de duas mil e oitocentas pessoas, em março, para a palestra de Claudemir de Oliveira, ex-executivo da Disney, sobre a “A arte de materializar sementes de sonhos”. Em maio, foi a vez de Angelo Brandini, do Doutores da Alegria, comandar a palestra “Uma Experiência de Alegria em Meio à Adversidade”. Em setembro, a última atração do projeto Vitrine do Conhecimento será o artista e professor doutor João Portinari, para proferir a palestra “Cândido Portinari: Do Cafezal à ONU”.

“Desejamos contribuir para a formação e o desenvolvimento das pessoas e para a disseminação de valores humanos. Para isso, nosso objetivo é alcançar mais de cinco mil pessoas nas quatro palestras deste ano”, afirma a coordenadora geral do Instituto Flamboyant, Adeline Manso.

Acesso

O projeto é dirigido a clientes do Flamboyant Shopping Center, bem como a toda a comunidade goianiense, a profissionais e estudantes de diferentes níveis. Cada palestra terá em média uma hora de duração, tendo início sempre às 19h30, no estacionamento coberto Deck Sul 1 do shopping. As vagas são limitadas e o ingresso é simbólico: basta trocar por um livro literário infantil  em bom estado de conservação no stand Flamboyant Social, que fica no primeiro piso do shopping. As doações serão destinadas a organizações não governamentais atendidas pela entidade. Para esta terceira edição, as trocas acontecerão entre os dias 16 a 30 de agosto.

Vitrine do Conhecimento
Palestra João Carlos Martins
Tema: A Saga das Mãos
Realização: Instituto Flamboyant em parceria com a MKT Link associada da Fundação Dom Cabral
Patrocínio: Flamboyant Shopping Center
Data: 30 de agosto, às 19h30
Local: estacionamento coberto do Flamboyant Shopping Center, Deck Sul 1
Ingresso: um livro de literatura infantil em perfeito estado de conservação
Período para troca de ingressos: de 16 a 30 de agosto
Mecânica para retirada dos ingressos: Flamboyant Shopping Center – Stand Flamboyant Social – Piso 1, em frente ao banco Bradesco.
Vagas limitadas

Sobre João Carlos Martins
João Carlos Martins ocupa um lugar ímpar no cenário musical brasileiro, tendo sido considerado pela crítica internacional um dos maiores intérpretes de Bach do século XX, do qual registrou a obra completa para teclado.

Nasceu em São Paulo, no dia 25 de junho de 1940. Começou seus estudos de piano aos oitos anos com o professor e pianista russo José Kliass, aos treze iniciou a sua carreira no Brasil e aos dezoito, no exterior.

Seus concertos no Carnegie Hall, após a estreia aos vinte e um anos, em apresentação patrocinada por Eleanor Roosevelt, sempre tiveram lotação esgotada. Jornais como New York Times, Washington Post e Los Angeles Times sempre dedicaram reportagens entusiasmadas pela sua personalidade artística.

Abandonou os palcos como pianista forçosamente no ano de 2002 por problemas físicos nas mãos e passou por diversos tratamentos e cirurgias na tentativa de resgatar o movimento dos membros.

Em 2004, João Carlos Martins iniciou os seus estudos de regência. Apresentou-se com sucesso em Londres, Paris, Bruxelas como regente convidado, imprimindo em suas interpretações a mesma dinâmica que o fez como pianista.

Em 2006 idealizou a Fundação Bachiana, cujo tema é a arte e sustentabilidade. A entidade sem fins lucrativos tem como finalidade apoiar, incentivar e promover a formação musical e cultural, especialmente nas artes clássicas. Atualmente é o regente da Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP, a primeira orquestra brasileira a se apresentar em janeiro de 2007 no Carnegie Hall, repetindo o feito em 2008.

João Carlos e a sua Bachiana retornaram a Nova York em 2009 e 2010, desta vez no Lincoln Center, destacando mais uma vez o nome do Brasil para plateias internacionais. Em 2011, voltou aos Estados Unidos com concertos no Broward Center, em Fort Lauderdale, e no Avery Fisher Hall do Lincoln Center em Nova York, levando como convidados os ritmistas da Escola de Samba Vai-Vai.

Juntos, mostraram em concertos emocionantes a influência africana e sua contribuição definitiva, desde quando escravizados no Brasil, o que ajudou a formação de nossa identidade musical. Em 2013, emocionou o público nova-iorquino com os Concertos Brandeburgueses, de J. S. Bach.

Em 07 de setembro de 2016, Martins executou o Hino Nacional Brasileiro durante a abertura dos Jogos Paralímpicos de verão de 2016. No início de 2017, aos 77 anos, João Carlos Martins passou por mais uma cirurgia – são dezenas – para tentar recuperar os movimentos das mãos. Num concerto recentemente em São Paulo tocou com as duas mãos seu piano.

João teve sua biografia traduzida em dois documentários internacionais. É o único músico brasileiro que teve a sua vida registrada por cineastas europeus por duas vezes: Die Martin´s Passion, uma co-produção franco-alemã dirigida por Irene Langman, assistido por mais de um milhão e meio de pessoas na Europa e vencedor de vários festivais internacionais; e Revêrie , dos cineastas belgas Johan Kenivé e Tim Herman. Recentemente, a TV Cultura realizou um documentário dirigido por José Roberto Walker denominado “O piano como destino”, exibido em vários países.

Sobre o Instituto Flamboyant
Para o Instituto Flamboyant, Responsabilidade Social se faz com gente. Afinal, são as pessoas, com suas ideias, atitudes e valores, que movem e transformam o mundo em um lugar melhor. Através de diferentes programas, a entidade, fundada em 2004, atende mensalmente mais de 400 alunos em seis campos específicos da arte e da qualidade de vida, e aposta nos valores humanos. Em pouco mais de uma década de história tem registrado depoimentos expressivos de pessoas que mudaram suas visões de mundo por meio do envolvimento com as atividades oferecidas.

Como destaque, os valores Humanismo; Entusiasmo; Inovação; Excelência e Perpetuidade são escolhidos para nortear a didática desenvolvida. Comprovando a eficácia da estratégia, as reflexões sobre os valores humanos não se restringem às salas de aula, e envolvem familiares e amigos dos alunos nos conceitos ministrados. Além de foco nas potencialidades do ser humano, desde 2014, o Instituto Flamboyant materializa em novos projetos, como a própria Vitrine do Conhecimento, a execução de sua missão de transformar pessoas em seres melhores por meio da educação e multiplicação do conhecimento, contribuindo para o desenvolvimento de todos.

Compartilhe....
Tweet about this on Twitter
Twitter
0Share on Facebook
Facebook
0Share on Google+
Google+
0Email this to someone
email

Vandin Duarte Autor

"Compartilhando os trem do Goianísmo para o mundo"

Faça seu comentário