Polícia investiga ranking que pontua alunos por tipo de mulher que ‘pegar’

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a criação e a divulgação da lista que atribui pontos para cada tipo de mulher que os alunos “pegarem” durante os Jogos Internos da Universidade Federal de Goiás (InterUFG). Uma ocorrência foi registrada na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam).
De acordo com a delegada Laura de Castro Teixeira, que realizou o procedimento, inicialmente, será apurado o crime de racismo, previsto no Artigo 20 da Lei 7716/89, uma vez que na lista há citações como “mulher pretinha” e “preta feia”. A pena, em caso de condenação, é de 1 a 3 anos de prisão.

“No crime de racismo não há uma vítima predeterminada. Nesse caso, ofende-se a toda população afrodescendente. O crime de injúria é diferente, de foro íntimo. Para que haja uma investigação, a pessoa que se sentir ofendida precisa fazer a denúncia”, disse ao G1.

Chamado “Regulamento InterUFG 2016″,  o ranking que circula nas redes sociais dá a maior pontuação para quem tiver relações sexuais. Se a mulher for casada, o homem acumula 10 pontos. Se ela for “gostosa e gata”, ganha 8 pontos. Se a mulher for “pretinha bonitinha”, recebe 2 pontos. O estudante perde um ponto se beijar uma “mulher gorda” ou “preta e feia”.

Ele ainda perde 0,5 ponto a cada meia hora que ficar com a mesma pessoa, o que chamam de ficar “casado” na festa. Se beijar travesti é “eliminado da competição”.

A delegada afirma que a intenção é localizar quem confeccionou a lista bem como quem a divulgou de forma deliberada na web. “É fácil saber quem agiu com dolo nesse sentido, quem tinha a real distribuição de liberar a lista. Aqueles que atuaram sem saber realmente o conteúdo do material ficam excluídos da apuração”, explica.

O InterUFG começou na quarta-feira e segue até o próximo domingo (29), em Goiânia. Durante as tardes, são realizados os jogos esportivos e, à noite, festas open bar.

Repúdio
Internautas repudiaram o regulamento. Eles discutiram sobre o assunto na web.

Em uma nota publicada nas redes sociais, a organização do evento declarou que não apoia e repudia “todo e qualquer esquema de pontuação de conotação sexual divulgado em redes sociais”. A mensagem ainda diz que 10ª Edição do Inter UFG “prezará pelo bem estar, segurança, diversão e, acima de tudo, o respeito”.

A assessoria de imprensa da UFG destaca que o evento não é organizado pela instituição, mas por estudantes da universidade. A instituição ainda informa que “não compactua com qualquer manifestação de preconceito e violência de gênero”.

“A UFG atua em prol da garantia dos direitos que promovam a pluralidade de ideias e o fortalecimento de uma política universitária comprometida com o respeito às diferenças e para a superação de quaisquer manifestações que ferem os direitos humanos”, diz a nota.

Organização do interUFG divulga nota de repúdio nas redes sociais (Foto: Reprodução/ Facebook)
Compartilhe....
Tweet about this on Twitter
Twitter
0Share on Facebook
Facebook
0Share on Google+
Google+
0Email this to someone
email

Vandin Duarte Autor

"Compartilhando os trem do Goianísmo para o mundo"

Faça seu comentário