Segurança

Com medo de ter lojas arrombadas, comerciantes disparam procura por segurança eletrônica em Goiás

Goiânia é a cidade que tem o maior número de crimes desta natureza. Especializado em segurança privada, Grupo RG, detectou um aumento de 45% na procura por equipamentos de segurança

Ao chegar para mais um dia de trabalho, Evandro Duarte, empresário de Goiânia, se surpreendeu ao encontrar sua loja arrombada. O estabelecimento, que fica no Setor Bela Vista, foi invadido, depredado, e teve itens furtados durante a madrugada. “Foi a pior sensação que já tive. Você chega para trabalhar e vê sua loja toda quebrada, bagunçada, por pouca coisa”, expos o empreendedor.

A loja de Evandro não tinha circuito interno e, por isso, não foi possível identificar os criminosos que quebraram a vitrine, arrombaram a grade, levaram dinheiro do caixa e uma televisão de 40 polegadas. Sem hesitar, após o ocorrido, o comerciante investiu em equipamentos de segurança. Reforços na estrutura, iluminação de presença e, principalmente, circuito interno e alarme estão entre as medidas adotadas para evitar ações de mesma natureza.

A sensação de medo no comércio e a procura por alterativas que ofereçam mais segurança pode ser comprovada em números. Com sede em Goiânia, o Grupo RG Brasil, especializado em segurança, detectou um aumento de 45% na procura por equipamentos de segurança eletrônica.

Para Glauco Tavares, diretor do grupo e especialista em segurança, o aumento da procura por sistemas de vigilância e monitoramento é um passo importante para usar a tecnologia no combate aos crimes. “Não há mais como pensarmos segurança sem cogitar o uso de aparelhos eletrônicos de monitoramento que nos auxiliem. Quantos crimes tivemos solucionados com o auxílio de imagens de câmeras? É sem dúvida o investimento certo”, afirma o Tavares.

O especialista acrescenta ainda que a presença de circuito de segurança ajuda a inibir não apenas os arrombamentos noturnos, mas também a ação de bandidos que roubam comércios, inclusive a mão armada. Além do circuito, outros artifícios podem ser alinhados ao trabalho das câmeras. Estão entre alternativas oferecidas pelo grupo o botão do pânico, que quando acionado emite avisos sonoros, e sensores de movimento, capazes de detectar invasões.

ESTATÍSTICAS EM GOIÁS

Segundo dados da Secretaria de Segurança do Estado de Goiás, até novembro de 2018, foram registradas 2.677 ocorrências de furto qualificado – quando ocorre destruição ou rompimento de obstáculo, os arrombamentos. Goiânia, a capital do estado, lidera o ranking com 636 casos. O segundo lugar com maior incidência do crime é Aparecida de Goiânia, 299 ocorrências; seguido por Anápolis, que tem 233 até então.

Glauco Tavares tem mais de 20 anos de experiência em Segurança, é sócio diretor do Grupo RG Brasil, uma das maiores empresas de segurança de Goiás com presença em todo o país. É especialista em Gestão Empresarial pela fundação Getúlio Vargas, graduado em análise de sistema, tem cursos em diversas áreas, como Licitações, Gestão Eletrônica de Segurança Privada e Planejamento Tributário.

wm300
Faça um comentário

Faça seu comentário

Mais lidas do Mês

To Top