31/08/2022 às 10h55min - Atualizada em 31/08/2022 às 10h55min

Governo de Goiás inaugura novo Hemocentro de Rio Verde nesta quarta-feira (31/08)

Hemocentro Estadual da Região Sudoeste I – Hemogo Rio Verde recebeu investimento de R$ 2,2 milhões.

Com reforma, prédio amplia capacidade de atendimento para doadores e pacientes. Unidade recebeu nome em homenagem a paciente que lutou por doações de sangue na cidade

 
O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), inaugura nesta quarta-feira (31/08), às 9h, as novas instalações do Hemocentro Estadual da Região Sudoeste I – Hemogo Rio Verde. Com investimento de R$ 2,2 milhões, a unidade foi totalmente reformada para proporcionar mais conforto e comodidade a doadores e pacientes. 

Com a revitalização, o Hemogo Rio Verde passará a contar com quatro poltronas de coleta convencional e uma para aférese, aumentando a capacidade de atendimento de 90 para 120 doações por dia, um incremento de 25%. “A capacidade da área de coleta de sangue será ampliada de 1,9 mil doações por mês para 2,6 mil doações mensais”, destaca a diretora-geral da Rede Hemo, Denyse Goulart. 

A estrutura atende a demanda por componentes do sangue de 28 unidades de saúde da região, distribuídas entre 12 municípios: Rio Verde, Santa Helena, Castelândia, Caçu, Turvelândia, Cachoeira Alta, Montividiu, Acreúna, Itarumã, Itajá, Maurilândia e Porteirão. “Realizamos uma reforma completa, assim como ocorreu em Goiânia, e agora vamos fazer mais essa entrega”, frisa o secretário de Estado da Saúde, Sandro Rodrigues.

Estrutura
A reforma contempla toda a estrutura do prédio, cerca de 1.695 metros quadrados de área modificada, incluindo calçada e jardinagem. O atendimento ambulatorial conta com dois consultórios, sendo um médico e outro de enfermagem. Além disso, existem dois leitos adultos e um pediátrico na Unidade de Atendimento Dia, nos quais são realizados procedimentos de sangria terapêutica, transfusão sanguínea, administração de fatores de coagulação, reposição de ferro e hidratação venosa para pacientes portadores de doenças hematológicas. 

Já a sala de coleta é composta por uma sala de triagem hematológica, duas salas de triagens clínicas, sala para coleta de sangue, com quatro poltronas, além de uma sala exclusiva para plaquetaférese. A estrutura de produção de hemocomponentes também foi ampliada e revitalizada, com ambientes exclusivos para processamento, controle de qualidade e distribuição de hemocomponentes. A área de suprimentos recebeu nova estrutura, segregando insumos da área técnica do almoxarifado geral, o que garante mais segurança e rastreabilidade na dispensação dos mesmos.

Houve ainda a preocupação em oferecer uma ambiência confortável aos colaboradores que agora dispõem de sala de descompressão, vestiários e repouso, além da estruturação de uma sala para treinamentos bem como para reuniões de trabalho. “Essa reforma foi pensada para que todos que venham ao Hemocentro de Rio Verde sintam-se bem, afinal, esse é um espaço da comunidade e nossa missão é oferecer um serviço de qualidade que atenda bem tanto o paciente como o doador”, diz a diretora-técnica da Rede Hemo, Ana Cristina Novais.

Homenagem
O Hemocentro de Rio Verde recebeu o nome da paciente Janielly Regina do Nascimento, por meio da lei nº 21.503, de 14 de julho de 2022, aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado. Aos 35 anos e mãe de dois filhos, ela foi diagnosticada com câncer e mobilizou a cidade por doações de sangue. Em plena pandemia, os moradores de Rio Verde fizeram fila no Hemocentro para doar sangue a Janielly, que não resistiu à doença e morreu em agosto de 2020, tornando-se um símbolo da luta de quem precisa de sangue e hemoderivados.  

As atividades do Hemocentro vão além da doação de sangue. A unidade também é responsável pela coleta de amostra e cadastro de medula óssea. Os dados são enviados ao Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) para compor um cadastro nacional. Em Rio Verde, pacientes com doenças hematológicas como hemofilia, doença de von Willebrand, Deficiência do Fator VII, fator V Leiden, Doença de Gaucher e três tipos de anemia, inclusive a falciforme, também recebem atendimento pelo SUS.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://enquantoissoemgoias.com/.