fbpx

Universidades federais e Nanismo BR lançam e-book gratuito sobre alimentação para pessoas com nanismo


Projeto desenvolvido por doutora em nutrição e universidades federais contou com apoio da Associação Nacional das Pessoas com Nanismo (Nanismo Brasil)

Utilizado como regra para medir a relação peso X altura, o Índice de Massa Corpórea (IMC) não é adequado para pessoas com nanismo. O grupo, que possui pouca literatura à disposição, enfrenta, desde a infância, dificuldades em entender como ter uma alimentação saudável que auxilie no controle de peso, previna doenças crônicas e melhore a qualidade de vida. De olho em uma parcela da população que sequer está contabilizada no país, a doutora em nutrição Ursula Viana Bagni coordenou a publicação do e-book “Alimentação saudável para pessoas com nanismo”, agora disponível gratuitamente para download.

Ursula é professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) e líder do Grupo de Estudos sobre Diversidade e Inclusão em Nutrição e Saúde (GEDINS). A publicação, entretanto, conta ainda com a realização da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e apoio da Associação Nacional das Pessoas com Nanismo (Nanismo Brasil). O livro tem como público além das pessoas com nanismo, familiares e profissionais de saúde e traz informações para todas as idades, incluindo crianças.

Presidente do Nanismo BR, Fernando Vigui explica que no 1º encontro da associação, em 2019, a questão começou a ser discutida durante um painel sobre qualidade de vida. Depois disso, Fernando encontrou o GEDINS e no ano passado, a nutricionista participou do encontro que foi virtual em razão da pandemia do coronavírus (SARS-CoV-2). “A Úrsula esteve no encontro virtual e deu início ao projeto. Foi incrível e a comunidade toda participou dando depoimentos, respondendo formulários, contribuindo com experiências e conseguimos, finalmente, lançar o e-book”, completa Vigui.

A professora universitária trabalha há alguns anos com nutrição de subgrupos populacionais em maior situação de vulnerabilidade em saúde. Neste sentido, tem desenvolvido atividades de ensino na graduação e pós-graduação e também pesquisas e projetos de extensão. Ela conta que nos últimos anos começou a se aproximar da temática do nanismo e percebeu a escassez de material para ser usado na universidade e também para servir de subsídio para os profissionais já formados.

“O livro foi planejado para ser bem objetivo, de leitura rápida e tentamos abordar todos as fases da vida. O planejamento e elaboração do livro foi feito em parceria com o Nanismo Brasil, que foi essencial para nos ajudar a desenvolver um material alinhado às necessidades das pessoas com nanismo”, acrescenta.

IMC

“O Cálculo IMC sempre dá pra gente obesidade mórbida e não nos encaixamos nos gráficos. Já vimos também pessoas com nanismo que seguem algumas dietas, mas não conseguem emagrecer, por exemplo”, explica o presidente da Associação Nacional das Pessoas com Nanismo. A professora ressalta, entretanto, que o objetivo não é fornecer informações específicas porque entende que cada pessoa com nanismo possui singularidades que precisam ser consideradas pelo profissional de saúde.

“Inclusive a questão do IMC, que é muito debatida, foi um tema que não nos aprofundamos propositalmente pois a avaliação do estado nutricional e da composição corporal da pessoa com nanismo é extremamente muito complexa. O IMC não é adequado para a pessoa com nanismo, conforme falamos no livro, e precisa ser usado com muita cautela pois não reflete bem a composição corporal e o risco de doenças crônicas em adultos com nanismo”, finaliza Ursula.

Energia

Doutora em nutrição, Ursula Viana diz que uma das principais evidências até o momento está na necessidade de energia, que é menor que a de uma pessoa com estatura mediana. Ocorre que esta diferença também não está se apresentando homogênea e uma nova pesquisa pretende responder a essa questão: quantas calorias uma pessoa com nanismo precisa?

“O que sabemos é que, como a pessoa com nanismo necessita de menos calorias diárias e que seu corpo está ‘programado’ para acumular mais gordura em função da alteração genética. Por isso, o controle da alimentação é essencial. É necessária uma vigilância constante, pois mesmo que o peso em excesso não resulte em doença crônica, ele pode agravar problemas articulares e resultar em dor e prejuízo na mobilidade”, explica.

 

Orientação geral

A orientação geral é que a composição da dieta e os alimentos a serem consumidos não sejam diferentes do restante da população. Todos devem seguir as orientações do Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado pelo Ministério da Saúde e quanto tiverem alguma condição de saúde que demande uma atenção maior, que a pessoa procure um nutricionista.

Para fazer o download é só clicar aqui: https://linktr.ee/NanismoBrasil


Comments

comentarios

0 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Escolha um formato
Questionário de personalidade
Série de perguntas que pretendem revelar algo sobre a personalidade
Quiz de curiosidades
Série de perguntas com respostas certas e erradas que visa verificar o conhecimento
Enquete
Votar para tomar decisões ou determinar opiniões
História
Texto formatado com incorporações e visuais
Lista
The Classic Internet Listicles
Contagem regressiva
As clássicas contagens regressivas da Internet
Lista aberta
Envie seu próprio item e vote para o melhor envio
Lista Classificada
Votar positivamente ou negativamente para decidir o melhor item da lista
Meme
Faça upload de suas próprias imagens para fazer memes personalizados
Vídeo
Youtube and Vimeo Embeds
Áudio
Incorporação de Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Foto ou GIF
Gif
Formato GIF