20/03/2024 às 12h05min - Atualizada em 20/03/2024 às 12h05min

Prefeitura de Goiânia colabora com investigações da Operação Endrôminas e determina afastamento da diretoria da Comurg

Administração colabora integralmente com a Polícia Civil e aguarda os desdobramentos das investigações. “É preciso frisar que a Prefeitura não é alvo de investigação, são nomes de pessoas físicas que prestam serviço à Prefeitura”, reforça prefeito Rogério

Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) – Prefeitura de Goiânia
A Prefeitura de Goiânia realizou, nesta quarta-feira (20/3), coletiva para reafirmar sua colaboração com as investigações no âmbito da Operação Endrôminas, deflagrada pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PC-GO). O prefeito Rogério destacou que sua administração é pautada na transparência e é a maior interessada no esclarecimento de eventuais crimes que lesam a administração e a população.

“A Prefeitura de Goiânia recebeu com tranquilidade e transparência a ação da Polícia Civil, tanto aqui no Paço Municipal, quanto nos órgãos fora do Paço. E as atitudes serão tomadas de acordo com o inquérito e apontamento da Polícia Civil”, afirmou o gestor, ao reiterar que a Polícia Civil tem o apoio irrestrito da administração. 


De imediato, o prefeito determinou o afastamento do presidente da Comurg, Alisson Borges. “Ele deve dar a sua resposta à sociedade, mas como gestor público e majoritário da empresa, determinei que o conselho da empresa, de acordo com o estatuto, se reúna para que possamos tomar as devidas providências cabíveis em relação à diretoria executiva da empresa”, esclareceu. Além da diretoria, os demais servidores da Comurg envolvidos no processo também serão afastados. 

Desdobramentos
“Vamos tomar todas as providências cabíveis assim que recebermos o inquérito final e a decisão da Polícia Civil em nossas mãos. É importante lembrar que nenhum valor foi encontrado em órgão público. E aquilo que foi encontrado, cada um, como pessoa física, deverá dar os esclarecimentos e tomar suas providências cabíveis”, pontuou o prefeito.

Em resposta aos questionamentos da imprensa, o gestor confirmou que os contratos licitatórios seguem o que estabelece a Lei de Licitações, e que muitas dessas empresas já prestam serviço à Prefeitura há mais de duas décadas. Assim como todos os procedimentos de tramitação de processo de licitação são acompanhados pela Controladoria-Geral do Município (CGM).

“É preciso frisar que a Prefeitura não é alvo de investigação, são nomes de pessoas físicas que prestam serviço à Prefeitura. Nenhum valor ou objeto de valor foi encontrado em órgão da Prefeitura, em repartição pública”, reforçou o prefeito. 


Em nota emitida nesta manhã, a Prefeitura esclareceu que contribui com o acesso das equipes policiais aos locais visitados para a coleta de equipamentos ou documentos, e que reúne informações sobre o objeto das investigações para prestar todos os esclarecimentos com transparência. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://enquantoissoemgoias.com/.