12/05/2022 às 16h38min - Atualizada em 12/05/2022 às 16h38min

“Combate ao Aedes aegypti só é possível com mobilização social, que envolve poder público e população”, destaca Rogério Cruz em ação conjunta com governo estadual para contenção do mosquito

Prefeito participa de lançamento do Dia D de Combate ao Aedes, nesta quinta-feira (12/05), no Parque da Lagoa, ao lado do governador Ronaldo Caiado.


É o terceiro evento empreendido pela Prefeitura de Goiânia, desde o dia 25 de abril, para conter avanço do mosquito. Há 36.526 casos notificados de dengue, desde o início do ano, além de 11 óbitos. Números colocam Goiânia em cenário epidemiológico. Autoridades apontam conscientização para reduzir índices da doença

O prefeito Rogério Cruz, ao lado do governador Ronaldo Caiado, lançou, na manhã desta quinta-feira (12/05), o Dia D de Combate ao Aedes aegypti, ação conjunta entre os governos municipal e estadual. Em evento realizado no Parque da Lagoa, na Região Oeste da cidade, ele ressaltou a importância de conscientização da população para reduzir os focos e, consequentemente, os índices da doença. “O combate ao Aedes aegypti só é possível com mobilização social, que envolve poder público e população”, disse. 

O Dia D faz parte das ações de intensificação realizadas pela Prefeitura de Goiânia, e é a terceira mobilização empreendida desde o dia 25 de abril. Os trabalhos se fazem necessários após a confirmação de 36.526 casos notificados desde o início do ano, além de 11 óbitos provocados pelo agravamento da doença, números que colocam Goiânia em cenário epidemiológico. 
 
Rogério Cruz esclareceu que o objetivo maior do Dia D é evitar a proliferação do hospedeiro da doença, o primeiro passo para reduzir a transmissão e os casos na cidade. O prefeito elogiou a agilidade na organização de toda a operação, mas ponderou que se trata de uma ação conjunta não apenas entre município e estado, mas que exige comprometimento da população.
 
Segundo ele, “os números crescem de forma assustadora, e é preciso que as pessoas se engajem no combate à dengue ao observar seus próprios quintais e eliminar os possíveis focos”. Cruz também salientou o envolvimento dos entes municipais, como Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), Guarda Civil Metropolitana (GCM), Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) e Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) na força-tarefa coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). 
 

O governador Ronaldo Caiado observou que a ação se faz urgente diante do aumento alarmante dos casos nas últimas 18 semanas epidemiológicas, considerando o período de janeiro a maio. “Por isso, trouxemos toda a estrutura da Secretaria Estadual de Saúde e Corpo de Bombeiros que, então, se juntaram à força montada pela prefeitura”, observou.

 
Ele destacou que a população tem a responsabilidade de combate à doença. Caiado falou do uso de drones pelo Corpo de Bombeiros para identificar focos em áreas de difícil acesso. “Porém, em casa, ações efetivas devem ser feitas tanto no sentido de eliminar os focos como na denúncia de situações de risco”, disse. 
 
O titular da SMS, Durval Pedroso, lembrou que a situação da capital é de alto risco para a doença, o que não permite descuidos na intensificação dos trabalhos e combate. Lembrou que, em ações realizadas nas regiões Sudoeste e Leste, 2.254 imóveis foram visitados pelos agentes de combate às endemias da SMS, acompanhados dos fiscais, e 623 foram autuados por encontrar focos do mosquito.
 
Durval pontuou que a ação busca sensibilizar a sociedade, mas que “todos os dias são dias de combater a dengue, uma doença urbana e domiciliar que está dentro das casas das pessoas”. O secretário corroborou com a necessidade de engajamento da população. “O poder público cumpre diariamente o seu papel com a visita dos agentes de combate a endemias, inspeções e forças-tarefa como esta, mas cada um precisa fazer a sua parte”, afirmou. 
 
O secretário estadual de Saúde, Sandro Rodrigues, lembrou que as ações intensificadas de combate ao mosquito Aedes aegypti acontecem em diferentes municípios goianos desde meados de abril. “Em Goiânia, montamos as operações com incrível rapidez, o que comprova que o combate ao hospedeiro é mobilização social, ou seja, todos trabalham de forma cooperada em suas casas, e na observância de possíveis focos”. 
 
O superintendente de Vigilância em Saúde da SMS, Yves Mauro Ternes, enumerou que, nas ações rotineiras e de força-tarefa, os agentes entraram em 16.432 imóveis, dos quais 202 apresentaram focos do mosquito. “Em 74 deles, foi necessário o auxílio de chaveiro e em 55, ou seja, 53,92%, havia criadouros”. Para ele, o Dia D traz “a conscientização quanto a importância da limpeza constante dos quintais e eliminação dos prováveis criadouros”.

Governo de Goiás
Conforme a SES-GO, operações dessa natureza chegaram a Valparaíso de Goiás e Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Nesta semana, também a força-tarefa irá a Piracanjuba, no Sul do Estado. Na avaliação da superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim, trata-se de “uma das estratégias mais efetivas para a diminuição da infestação do Aedes aegypti e prevenção da dengue, chikungunya e zika”.
 
O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás, como mencionado pelo governador Ronaldo Caiado, monitorará o sobrevoo de drones para identificação dos criadouros do mosquito em locais de difícil acesso. Também atuarão na logística das ações desenvolvidas pelos agentes e farão vistorias.
 
No evento, estiveram presentes o vice-governador do Estado, Lincoln Tejota, a primeira-dama e presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Gracinha Caiado, o comandante do CBM-GO, Washington Vaz, a superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim, o presidente da Comurg, Alisson Borges, e o presidente da GCM, comandante Wellington Paranhos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://enquantoissoemgoias.com/.

Qual comida típica goiana que você mais gosta?

24.6%
10.5%
11.3%
9.7%
29.8%
14.2%