22/02/2023 às 09h42min - Atualizada em 22/02/2023 às 09h42min

Escola do Futuro de Valparaíso será entregue no próximo semestre

Governo de Goiás investe R$ 15,4 milhões na reforma e modernização do prédio onde serão oferecidas mais de 3,6 mil vagas em cursos gratuitos para o mercado de tecnologia e inovação, nas modalidades presencial, EaD e on-line

Com 61% da obra executados, o prédio onde será a Escola do Futuro de Goiás (EFG) em Valparaíso está em reforma e modernização, com inauguração prevista para o próximo semestre. Investimento do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), a unidade vai oferecer cursos gratuitos de formação profissional voltados para o mercado de tecnologia e inovação.

A estrutura da EFG de Valparaíso seguirá o mesmo modelo e padrão das quatro unidades das Escolas do Futuro de Goiás que já estão em funcionamento. Com 5,5 mil metros quadrados, a unidade contará com 12 salas de aula, biblioteca, laboratórios, auditório, quadra poliesportiva, cantina e área de convivência. Serão aproximadamente 3.648 vagas por ano em cursos de capacitação, qualificação e técnicos, nas modalidades presencial, EaD e online, oferecidos gratuitamente.


Os laboratórios e ambientes de inovação das EFGs são estruturados para atender as demandas do mercado de trabalho e preparar os alunos para o domínio das tecnologias inovadoras. A Escola do Futuro de Valparaíso terá laboratórios de robótica, Inove Lab (prototipagem), eletrônica, STEAM, criativo, tecnologias da automação, inteligência artificial, e-sports e informática. Além dos laboratórios, a unidade terá dois ambientes de inovação: espaço de coworking e pré-incubação.

Segundo o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcio Cesar Pereira, serão investidos R$ 15,4 milhões na reforma e modernização da unidade de Valparaíso. “Hoje este setor está com déficit de profissionais preparados e remunera duas vezes mais que a média salarial nacional”, ressalta.

Paralisação
As obras da EFG de Valparaíso estavam paralisadas em razão de problemas contratuais da gestão anterior. Elas foram retomadas no ano passado, depois que o governo estadual realizou uma consultoria com a Caixa Econômica Federal e revisou os contratos, quando passou a responsabilidade de adequação e finalização das obras para a Universidade Federal de Goiás (UFG). Para tanto, em agosto de 2021, foi celebrado convênio junto a UFG, que assumiu a operacionalização das EFGs, visando proporcionar mais transparência nas ações e na aplicação dos recursos.

Atualmente, quatro unidades estão em funcionamento: EFG Luiz José Luiz Bittencourt e EFG em Artes Basileu França, em Goiânia; EFG Luiz Rassi, em Aparecida de Goiânia; e EFG Sarah Luísa Lemos Kubitschek de Oliveira, em Santo Antônio do Descoberto. A EFG Raul Brandão de Castro, em Mineiros, também está sendo reestruturada e será inaugurada nos próximos meses.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://enquantoissoemgoias.com/.