05/10/2021 às 14h49min - Atualizada em 05/10/2021 às 14h49min

Explorando sua vocação para o turismo, Silvânia completa 188 anos nesta terça-feira

A cidade situada no eixo Goiânia-Anápolis-Brasília já passou pela lavra de ouro, é uma importante produtora agrícola em Goiás e hoje se destaca pelo desenvolvimento do turismo, principalmente com a construção de diversos condomínios de lazer e segunda moradia às margens do Lago Corumbá IV A cidade de Silvânia, que completa 188 anos neste 05 de outubro, tem uma história de crescimento para celebrar. Ela começou a construir seu legado com a descoberta de lavras de ouro (1774), que atraiu aventureiros de regiões como Minas (MG) e Bahia (BA), trazendo a imagem de Nosso Senhor do Bonfim, o que deu origem ao nome da cidade. O nome Bonfim foi alterado para Silvânia somente em 1943, em homenagem à família Silva, de Vicente Miguel da Silva e descendentes, que ocupavam cargos de prestígio na cidade. As atividades extrativistas alavancou a cidade em seus primórdios, o que gerou necessidade de investimento em infraestrutura. Em 1930 a região recebeu suas vias férreas que transportavam todo material e riqueza produzida na região. Passada a fase áurea do ouro na cidade, ela se dedicou à agricultura, que ainda é uma importante fonte de emprego e renda no município, que hoje tem uma população estimada de cerca de 21 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e um PIB per capita (218) de 35.836 mil, ocupando a quarta posição na região geográfica imediata que compreende 18 municípios. Contudo, a cidade ainda carente de mais postos de trabalho, com apenas 16,4% da sua população economicamente ativa ocupada, segundo dados do IBGE de 2019, viu no seu potencial turístico o caminho para o crescimento. Sua rica beleza natural composta por bioma típico do cerrado, com vasta vegetação, fauna e flora deslumbrantes, além da presença das águas do Lago Corumbá IV consolidaram o turismo como a nova vocação econômica da cidade. O Lago Corumbá IV, formado para a exploração do potencial hidrelétrico do Rio Corumbá com área de 173 quilômetros quadrados e capacidade de 3,7 trilhões de litros de água, tem atraído empreendimentos turísticos de diversas naturezas, envolvendo ecoturismo, gastronomia e condomínios de segunda moradia e lazer. Esse movimento agrega mais empregos e geração de renda e impostos que são revertidos em benefícios para a população local. Segundo o secretário de Turismo e Cultura de Silvânia, Valdir Antônio Rosa, com a implantação do Lago Corumbá IV, a cidade conta com um Plano Municipal de Turismo e um projeto institucional que visa alavancar a atividade náutica: “Por meio da chegada dos empreendimentos que promovem o desenvolvimento da cidade, queremos sensibilizar a Goiás Turismo para lutar, juntamente com a Assembleia Legislativa, para a implantação do asfalto, melhoria da internet e alavancar o turismo em nossa região”, afirma. Silvânia possui seis projetos aprovados e alguns já em construção no entorno do Lago. Um desses projetos é o do condomínio reserva Fazenda Canoa, que já está comercializando lotes para construção de casas de veraneio em estrutura e teve toda a sua primeira etapa comercializada no lançamento. O potencial turístico em Silvânia é uma janela de oportunidade para proporcionar esse novo ciclo de desenvolvimento, considera o empreendedor Fernando Costa, CEO da FRSC Participações e idealizador do condomínio Fazenda Canoa. “Eu sempre tive uma ligação emocional com Silvânia porque minha família ascendente veio de lá e sempre quis contribuir com a cidade”, compartilha ele. Foram cinco anos dedicados à pesquisa e planejamento de um projeto sofisticado, que une conforto e natureza. O projeto da Fazenda Canoa, que vai promover mais desenvolvimento para a região, possui 500 mil metros quadrados de área verde e lotes de 700 m² a 1.200 m². Os moradores do condomínio poderão contar com infraestrutura completa de lazer, incluindo centro de esportes, complexo de tênis, ciclovia, beach club lounge com piscina de borda infinita e praia com pier, guarda-barcos e estrutura completa para navegação no lago. O empreendimento foi desenvolvido pela frente da FRSC Participações, empresa que investe e desenvolve projetos de incorporação e urbanismo no eixo Goiânia-Anápolis-Brasília, e o projeto é assinado por alguns dos profissionais mais renomados do mercado, o arquiteto Flávio Aleixo e o paisagista Luiz Carlos Orsini. A Fazenda Canoa é também o primeiro lançamento da região com heliponto, projetado de acordo com as normas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
Curiosidades sobre a cidade As vias férreas fazem parte da região desde 3 de maio de 1930 e, devido a sua importância, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), tombou a Estação Ferroviária de Silvânia (GO) como patrimônio cultural ferroviário nacional, conforme decreto da Lei 11.483/07. Silvânia, assim como Luziânia e Gameleira de Goiás regem a maior parte da economia local com a produção de mais de 1,1 milhão de toneladas de grãos, cereais e oleaginosas, além de um rebanho de 1,3 milhão de cabeças. É o que aponta um estudo feito em julho deste ano pelo Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (IFAG). A paisagem natural da cidade faz parte da Floresta Nacional (Flona) composta por uma área de 486,60 hectares, que visa proteger espécies endêmicas da natureza e ameaçadas de extinção como o lobo-guará e tamanduá-bandeira, bem como a conservação do Cerrado.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://enquantoissoemgoias.com/.

Qual comida típica goiana que você mais gosta?

24.6%
10.5%
11.3%
9.7%
29.8%
14.2%