21/10/2021 às 17h14min - Atualizada em 21/10/2021 às 17h20min

Tarifa de energia em Goiás ficará 16,45% mais cara

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta quinta-feira (21/10), o reajuste tarifário de 16,37% para consumidores de energia elétrica residenciais e de 14,21% para clientes de média e alta tensão, em geral indústrias e comércios de grande porte em Goiás. Os novos valores passam a valer já nesta sexta-feira (22). Os dados foram divulgados pela Enel Distribuição Goiás no início da tarde de hoje (21). De acordo com a empresa, os consumidores residenciais representam mais de 85% de todos os clientes, sendo que até então pagavam R$ 0,547/kWh na conta de energia, a partir desta sexta-feira (22) passarão a pagar R$ 0,637/kWh. Anualmente, a Aneel calcula as tarifas de todas as distribuidoras de energia do país. O reajuste médio aprovado pela Aneel foi de 16,45%. Deste total, 13,14% são para cobrir os custos com a compra de energia, encargos setoriais e transmissão, sendo apenas 3,31% destinados à distribuidora para manutenção e investimento na rede. Segundo a Enel Distribuição Goiás, em função da redução do nível dos reservatórios das hidrelétricas, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) precisou acionar mais usinas termelétricas, que têm um custo de geração mais caro, o que impactou as tarifas. A composição do reajuste foi, portanto, fortemente impactada pela crise hídrica enfrentada pelo país, com reflexo direto nos custos de compra de energia produzida pelos geradores, e pelos encargos setoriais. A empresa ainda destaca que o processo de reajuste iniciou com percentual de 24,4% e, após medidas implementadas pelo regulador, chegou-se ao percentual de reajuste médio aprovado.
Composição da tarifa de energia
As tarifas de energia são definidas pela Aneel com base em leis e regulamentos federais e contêm custos que não são de responsabilidade da Enel como: impostos, encargos setoriais, custos de geração e transmissão de energia. Estes valores são arrecadados pela distribuidora, por meio da tarifa de energia, e repassados às empresas de geração, transmissão e aos Governos Federal (PIS/COFINS) e Estadual (ICMS). Para se ter uma ideia de como funciona a composição da tarifa de energia, em uma conta de R$100, R$ 19,95 ficam com a Enel Distribuição Goiás. Com essa parcela, a concessionária realiza toda a operação e a manutenção da rede elétrica e investe na expansão e na qualidade do seu sistema de distribuição. Veja abaixo como fica a composição da conta de energia da Enel Distribuição Goiás após a aprovação do reajuste tarifário divulgado hoje:
(Foto: Divulgação/Enel Goiás)
Reajuste em outros Estados O reajuste da Neoenergia Distribuição Brasília trará um efeito médio de 11,1%. Para consumidores residenciais a elevação na tarifa será de 11,69%. Na alta tensão, 9,16%; e na baixa tensão, a média do impacto é de 11,85%. A distribuidora atende a cerca de 1,1 milhão de unidades consumidoras no Distrito Federal. Já o reajuste tarifário da CPFL Piratininga terá efeito médio de 12,4%. Para os consumidores da alta tensão, o impacto fica em 5,69%. Para a baixa tensão, o impacto será de 16,4%. Já os consumidores residenciais terão efeito médio de reajuste de 16,31%. A concessionária atende 1,86 milhão de unidades no estado de São Paulo. No caso do reajuste da EDP São Paulo, a variação média será de 12,39%. Para os consumidores residenciais, o aumento será de 16,73%. Para os consumidores atendidos na alta tensão, o impacto fica em 4,41%. Para a baixa tensão o impacto será de 16,74%. A EDP São Paulo atende 2 milhões de unidades em São Paulo. (Com informações da Agência Brasil)
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://enquantoissoemgoias.com/.

Qual comida típica goiana que você mais gosta?

24.6%
10.5%
11.3%
9.7%
29.8%
14.2%