28/11/2022 às 22h52min - Atualizada em 29/11/2022 às 00h00min

Grupo de Justiça e Segurança da transição apresenta diagnósticos nesta terça e vai propor reforço no combate a crimes ambientais

Sugestões incluem diretoria específica na PF para essas infrações e revogação de normas do governo Bolsonaro que dificultaram combate. Caso Bruno e Dom é citado pelos especialistas.

G1 Brasil
https://g1.globo.com/politica/noticia/2022/11/28/grupo-de-justica-e-seguranca-da-transicao-apresenta-diagnosticos-nesta-terca-e-vai-propor-reforco-no-combate-a-crimes-ambientais.ghtml
Sugestões incluem diretoria específica na PF para essas infrações e revogação de normas do governo Bolsonaro que dificultaram combate. Caso Bruno e Dom é citado pelos especialistas. O grupo técnico da transição de governo responsável pelas áreas de Justiça e Segurança Pública se reúne na manhã desta terça-feira (29) para apresentar os primeiros diagnósticos elaborados por especialistas nas últimas semanas.
Responsável pelo debate do enfrentamento a crimes ambientais e cotado para assumir o ministério, o senador eleito Flávio Dino (PCdoB-MA) adiantou à GloboNews que fará duas sugestões ao governo eleito:
criar uma diretoria específica na Polícia Federal para apurar crimes ligados ao meio ambiente;

revogar normas decretadas pelo governo Jair Bolsonaro que, na prática, dificultaram a apuração e o combate a essas infrações.
Segundo Dino, a complexidade do assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, no primeiro semestre deste ano, foi um dos principais fatores para sugerir a criação da diretoria especializada da PF.
Já o "revogaço" nos decretos que desregulamentaram a proteção ambiental do país é um tema que também já vinha sendo citado por especialistas que colaboram com a transição na área de meio ambiente.
A "gestão ambiental" de Bolsonaro foi marcada por recordes nos índices de queimadas e desmatamentos – o que, segundo especialistas, é resultado direto do enfraquecimento dos órgãos de fiscalização e da falta de punição aos infratores.
Na reunião desta terça, os integrantes do grupo técnico também devem discutir outros temas centrais da campanha do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e que fazem contraponto direto à gestão atual. Por exemplo, as regras para compra e porte de armas e o papel atual da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal.
Os 31 grupos técnicos da transição de governo têm até o dia 11 de dezembro para sugerir ações para os primeiros 100 dias da nova gestão e indicar normas atuais a serem revogadas. O material será analisado pelos ministros do futuro governo, e o que for "aprovado" passará ainda pelo crivo de Lula.
O grupo técnico de Justiça e Segurança Pública foi dividido pela transição em 17 relatorias temáticas:
PF, PRF e inteligência
Polícia Técnica (perícia)
Crimes ambientais e fronteiras
Consumidor, Fundo de Direitos Difusos e Defesa da Concorrência
Cooperação Judiciária Internacional e Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA)
Milícias e crime organizado
Crimes contra o estado democrático de direito
Armas e desarmamento
Crimes digitais
Execução penal e Fundo Penitenciário
Redução de crimes violentos letais e intencionais (CVLI) e crimes contra o patrimônio
Sistema Unificado de Segurança Pública (SUSP) e Fundo Nacional de Segurança Pública
Acesso à Justiça e grupos vulneráveis
Arquivo Nacional
Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci)
Drogas
Orçamento 2023, contratos e convênios
"Talvez seja importante experimentar um novo modelo", diz coordenador do Grupo Prerrogativas

Fonte: https://g1.globo.com/politica/noticia/2022/11/28/grupo-de-justica-e-seguranca-da-transicao-apresenta-diagnosticos-nesta-terca-e-vai-propor-reforco-no-combate-a-crimes-ambientais.ghtml

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://enquantoissoemgoias.com/.